sábado, 24 de setembro de 2011

C'est une fete.

Isto agora é divertídissimo, todas as noites sonho que beijo alguém diferente. Que ganharão que sou!É um must!(sintam a ironia).

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Estou...

tão cansado que nem vos passa pela cabeça.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Devia estar a estudar.

Pois devida. Depois não te queixes que chumbas-te.
Mas eu vou passar, vou passar, vou passar.
Vou conseguir, conseguir, conseguir.

domingo, 18 de setembro de 2011

Um buraco agora dava jeito.

Hoje foi daqueles dias dos quais chegamos ao fim e nos damos conta do quanto inúteis foram. Preferia te-lo passado enclausurado em casa, a estudar a matéria para o Damásio, algo de que eu preciso muito. Mas realmente o que me irrita, é que por mais que pense, por mais que dê voltas ao dia, não consigo encontrar a solução, não existe comportamentos que tinham de ser controlados, não existem escolhas que tinham de ser refeitas. Por mais que pense ou reflicta não consigo encontrar nada, não consigo.
Ainda me irrita mais ter sido um dia completamente passivo, parecia que nada estava ao meu alcance, nada podia ser escolhido por mim...
Se calhar fazia me bem afastar deste tipo de ambientes.
Precisava urgentemente de férias para mim, só para mim.

sábado, 17 de setembro de 2011

Estou com vontade de...

...vomitar.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

That's it

Começo a descobrir que já não me dói tanto ouvir verdades, ando mais atento do que se passa à minha volta. Parece que as sapatadas que fui apanhando a longo deste anos serviram para algo e isso deixa me contente. Temos de sofrer para ficar mais fortes, pelo menos no meu caso. Continuarei a ser eu próprio, nunca irei fugir de mim, porque algo que eu também aprendi é que posso crescer continuando a ter a minhas características originais, que alguém as poderá chamar infantilidade ou imaturidade.
Mas, manter-me-ei fiel a mim próprio, porque se não for comigo, com quem serei verdadeiramente?

Li algures que: "A verdade só dói uma vez, a mentira mata aos poucos."

terça-feira, 13 de setembro de 2011

"Basicamente quero que tenhas em conta que:"

"Por mais que queiras o Passado não volta, que o Presente basicamente não existe e ainda tens muito Futuro pela frente. Por isso porquê desistir agora? Continua acreditar, nem que seja um bocadinho do tamanho da cabeça de um alfinete."

sábado, 10 de setembro de 2011

Estou a dizer-te que sim.

Tenho de me libertar ainda mais de ti. Tenho de deixar de te pedir coisas só por comodismo, agora só quando necessário. Não preciso de ti. E não, não te temo mais e consigo olhar-te nos olhos enquanto expeles essa tua raiva com esses teus berros monstruosos. Sim estou te a dizer que consigo, ainda à pouco o fiz.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Ontem fui pela primeira vez à Cinemateca. Foi "engraçoso" ver uma dose de curtas-metragens Tailandesas, se bem que algumas eram demasiado intelectuais para mim (se é que me entendem), mas ainda assim gostei.
Foi bom rever certas pessoas.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

É giro como as pessoas nós conseguem fazer a mesma coisa mais de que uma vez.
Thanks a lot. Não preciso mais de ti. Caguei.

sábado, 3 de setembro de 2011

Algo que provavelmente não deveria estar aqui

Sinto me extremamente desconfortável. E estranhamente agora que penso a última vez que tive uma experiência destas, faz agora quase um ano. Será para me por à prova ao algo do género?
Posso concluir que quando me deparo com situações "práticas" sexuais ou suas derivadas, não me sinto à vontade. É horrível a mixelania de sentimentos que 'tou a sentir agora. Por um lado só deitar tudo cá para fora, por outro quero guardar apenas para mim e reprimir-me.
Bah, sou tão inocente....tão frustrado...tão......

Argh.

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Que puta de sonho. Dass, há muito que um não punha assim, a interrogar-me se realmente tinha acontecido ou não, a equivocar-me dos próprios meus actos. Porra prefiro os sonhos gore aos realistas, ao menos assim acordo sem qualquer dúvida de que o que aconteceu foi apenas fruto do meu subconsciente.